sábado, 31 de janeiro de 2015

CATTLEYA ACLANDIAE- Brasileira da Bahia!

Cattleya aclandiae tipo
Cattleya Aclandiae é uma orquídea endêmica da Bahia, especificamente da regiões sul e sudeste do estado. Em 1839 O oficial naval Lieunant James em uma viagem de coleta de plantas e sementes aqui no Brasil acabou levando a Cattleya Aclandiae para a Inglaterra e cedeu uma planta a Sir Thomas Acland da cidade de Killerton onde floriu pela primeira vez. Em 1840 a planta foi enviada ao Drt. John Lindley junto com um desenho feito por Lady Acland, a quem Lindley acabou dedicando o nome da espécie no registro botânico, então foi descrita  pelo botânico inglês John Lindley  com o nome de Cattleya Aclandiae .
Cattleya aclandiae tipo
A espécie é geralmente encontrada na faixa de Mata Atlântica acima de 400 metros de altitude. Tem comportamento de vegetar como epífita, isto é, vegetar sobre as árvores. Seus bulbos  atinge cerca de 20 centímetros, folhas lisas, rígidas e elípticas e flores que saem da ponta do bulbo geralmente de uma espata pequena.  Precisa de otima luz e de bastante umidade para se desenvolver bem em cultivo.
 Em seu habitat, existem brisas marítimas constantes, que trazem à planta umidade vinda do mar, alem de nevoeiros. 
Em cultivo, não se adapta a vasos, a não ser que seja
amarrada a um pedaço de casca ou devendo ser, portanto, plantadas em cascas de árvores. Antigamente era rara nas coleções mas hoje, o cultivo da espécie já é mais difundido, pois possui rara beleza!. Tem o crescimento reptante("se arrastando") e desordenado. É do grupo das Cattleyas bifoliadas podendo emitir até  três folhas as vezes.
Geralmente são duas flores por pseudobulbo de cerca de até 10 cm de diâmetro pintalgadas de marrom e variando a cor das pétalas e sépalas do verde claro ao verde escuro e labelo de cor lilás A coluna fica exposta e tem a mesma cor do labelo(cor tipica)
As flores surgem entre Outubro e Dezembro na extremidade do pseudobulbo. Alem da cor típica possuem algumas variações:
Cattleya aclandiae tipo
albescens- Com pequenas máculas nas pétalas, sépalas e labelo);
alba- Pétalas e sépalas verdes com labelo branco e sem pintas.
coerulea -Com labelo lilás azulado e demais peças florais indo do verde amarelado ao verde oliva
Cattleya aclandiae nigrescens
niegrescens -Peças florais com muitas máculas ficando bem escura, labelo com a cor lilás mais forte
Suave-Grande variação de colorido das peças florais indo de amarelo mostarda ao verde bronzeado e labelo com a cor mais esmaecida.
Cattleya aclandiae alba

Típica-Também muito variável na cor das pétalas e sépalas passando pelo amarelo mostarda, verde oliva e marrom com labelo de colorido forte.
Em uma exposição passando por  julgamento é tolerado a existência de apenas uma flor, pois é a regra para julgamento de espécies.O labelo  que se dobra para baixo não é apreciado, preferindo-se labelos planos e maiores, assim como peças florais o mais largas quanto possível.
Cattleya aclandiae albescens
Está presente na lista de plantas ameaçadas de extinção de 2008 do ministério do meio ambiente numa lista à parte como deficiente de dados de campo.

Cattleya aclandiae albescens 
A Cattleya aclandiae quando bem cultivada e nutrida costuma brotar a gema de um pseudobulbo mais antigo e dali crescer uma nova frente que poderá ser dividida em uma nova planta.
Nas árvores pode ser observado o comprimento das raízes de até quase 1 metro, para cima e para baixo deixando a planta muito bem fixada.

Cattleya aclandiae coerulea

Brassocattleya hipoddamia

A Cattleya aclandiae tem seu melhoramento genético bem avançado hoje em dia resultando em plantas cada vez mais perfeitas e estas por sua vez tem sido usadas em hibridações com outras espécies resultando em plantas belíssimas de cores e pintas alem de labelos generosos contrastando e nos encantando a cada floração!!



Bc Hippodamia x Cattleya aclandiae



                                          O contraste de suas cores e o perfume marcante foram o que fizeram da espécie a "Matriarca" de centenas de "filhas" e "netas" e "bisnetas", etc.   todas bem pintadas....






  Como exemplo,temos acima e abaixo fotos de hibridos muito bonitos resultantes do cruzamento da Cattleya aclandiae com a espécie brassavola.

Bc. hippodamia kelvin luck- acima e abaixo



















E entre todas os hibridos, teve um em que participou doando seu dna junto com outras pintadas como a C. schileriana, C. amethistoglossa, C. gutata,  que ficou muito famoso e premiado internacionalmente, foi  a Brassolaeliacattleya Durigan que já no primeiro lote apresentou grande variação de cores e pintas, de onde foram selecionados clones únicos de flores cerosas e de otima forma!
Brassolaeliacattleya durigan




Brassolaeliacattleya durigan


Brassolaeliacattleya durigan

Brassolaeliacattleya durigan














Enviar um comentário