sábado, 7 de fevereiro de 2015

COMO EVITAR PRAGAS E DOENÇAS


Faça o controle de pragas e mantenha suas plantas imunizadas!



 Um dos maiores pesadelos dos colecionadores de orquídeas é ver seus exemplares serem atacados por pragas ou por doenças fungicas, comprometendo sua saúde e beleza, e em casos mais sérios levando a planta à morte.
Toda a planta tem naturalmente sua defesa, por isso além de tentar ajudar a planta a se recuperar com algum defensivo natural ou não, o segredo para minimizar esse mal é tentar descobrir o que está errado no cultivo, e que está debilitando as orquídeas, tornando-as vulneráveis a este tipo de ataque.



 Ataque por fungos
Sinceramente pouco importa qual o veneno você deve usar para salvar a planta, pois a planta se for bem cultivada e nutrida não sofre com doença ou praga nenhuma, então na verdade ela não precisa de remédio nenhum. No meio da floresta este tipo de problema não acontece, porque lá a planta está adaptada e consegue tudo o que precisa no meio em que está. Alguns dos fatores que mais prejudicam o cultivo de orquídeas nos orquidários domésticos, são os excessos de umidade, falta de nutrição adequada e falta de luminosidade.
 Caso observe que a planta está sendo atacado por alguma praga ou doença, é aconselhável retirá-la de perto das outras plantas para se evitar contaminações e também para poder tratá-la adequadamente. Dependendo do estado da planta (se está no começo ou se está muito debilitada) as opções de ação são variadas. Antes de tratar das pragas, convém listar algumas medidas práticas que podem e devem ser adotadas, visando minimizar a incidência deste mal nos orquidário. Aqui o velho ditado se aplica à perfeição: "Prevenir é melhor que remediar"



 1- Cultive espécies ou híbridos adequados ao clima predominante, e proporcione às plantas as melhores condições possíveis em termos de cultivo (luz, água, adubação, umidade relativa, ventilação e substrato).
Isso por que as plantas "estressadas", ou que estão em condições vegetativas insatisfatórias, são um convite ao ataque, tanto de pragas como doenças, pois em geral se apresentam desnutridas, ou com deficiência nutricional.
2- Procure adquirir plantas isentas de doenças aparentes, e em bom estado de cultivo. Cuidado com aqueles "presentes" de um ou dois bulbos traseiros, que podem vir contaminados até com virus. Faça o replante e depois quarentena para acompanhar o desenvolvimento é mais garantido.
Observar na hora de comprar- Sempre que
adquirir uma nova planta, deixe-a separada 
em quarentena antes de junta-las as demais.
Isso pode evitar problemas de fungos e pragas.
3- Mantenha as plantas recém-adquiridas afastadas do restante da coleção, por algum
orquidário limpo e arejado- 
facilita a observação das plantas, o manejo e
a ventilação. Alem de dificultar ataques de 
pragas e insetos nocivos as orquideas.
tempo (6 semanas), até ter certeza que não portam doenças ou pragas. Faça pelo menos um tratamento contra doenças, nestas plantas, durante este período. O oleo de neem é natural e atua em mais de cem tipos diferentes de problemas em orquideas e outras plantas. É fungicida, inseticida e bactericida natural e sistemico( circula no interior da planta mantendo-a imunizada por até oito dias)
4-Nunca misture sua coleção de orquídeas com outras espécies de plantas, que pode ser vetores de doenças. Vasos com terra possuem fungos muito agressivos para as orquideas podendo contamina-las. Se for manter plantas perto para melhorar a umidade do local o faça de forma que as orquideas fiquem acima das outras espécies de plantas, pois evita fungos e melhora a umidade vinda do solo, benéfica para as plantas.
5-Faça uma inspeção detalhada de suas plantas, no mínimo uma vez por mês. Limpe a palha seca das plantas(pode esconder cochonilhas), e também outras plantas que possam nascer nos vasos de orquideas, pois acabam "disputando" os nutrientes do vaso.
6-Se surgirem problemas nestas inspeções, aja rápido, para evitar que o problema assuma proporções epidêmicas no orquidário, após o que, o combate se torna caro e incerto.
7-Mantenha o orquidário limpo, sem restos de
plantas, vasos velhos, flores murchas espalhadas pelo chão e nas bancadas.
8-A adequada ventilação do ambiente é ponto crucial no controle da maioria das doenças causadas por fungos e bactérias, que em sua maioria são transmitidas pela água parada nas folhas e no substrato.
9-Utilize o óleo de neem regulamente para criar uma defesa natural nas plantas, pois é uma eficaz maneira de preservar as orquídeas das pragas e doenças e evitar seu contato com os agentes nocivos, pois o neem os repele.
 Trata-se de medida cautelar para preservar as plantas, e evitar o uso de produtos quimicos mais agressivos. trate a planta e não a doença!
Acompanhe os segredos do cultivo defensivo em nosso blog, e Como afirma a sabedoria popular: 
"Uma pessoa prevenida vale por duas"

Esse provérbio é perfeitamente aplicado ao mundo das Orquídeas.
Conhecido popularmente como baratinha ou percevejo, 
o tenthecoris bicolor  faz um estrago de grande proporção,
 ocasionando esbranquiçamento e um terrível mau aspecto 
às plantas, pois surgem em colônias e gostam de sugar 
principalmente o broto eas folhas jovens das plantas, 
gostando mais de atacar: 
Cattleya, Laelia e seus híbridos, e Epidendrum.
É sazonal(de epocas) e o oleo de neem controla e acaba
com o ataque. As folhas atacadas ficaram marcadas.
 É habitual observar, no cotidiano do cultivador amador ou profissional de orquídeas, práticas realizadas com empirismo que contribuem para a perda das plantas devido à transmissão de pragas e doenças. Um dos principais veículos de transmissão de pragas e doenças, é a mão do próprio cultivador que ao tocar plantas com fungos e bactérias acaba carregando junto esporos ou propágulos de uma planta para outra, por isso Indica-se lavar as mãos. Pode ser com alguma solução desinfetante (hipoclorito ou álcool gel) ou até mesmo lavar só com sabão.
Após o ataque do tenthecoris bicolor as folhas ficam
 com pingos esbranquiçados onde o inseto sugou a planta.
Como andam em bando fazem muitas marcas nas folhas!
Os insetos adultos, correm para traz da folha ao perceberem
a nossa presença e podem voar. 
Os instrumentos utilizados no cultivo também merecem sua devida atenção. Eles podem transmitir vírus de uma planta para outra e se tratando de vírus não possuem cura ou tratamento. Por isso sempre os esterilize com fogo ou solução desinfetante antes de usar em outra planta. Não é indicado o uso de isqueiro, pois não atinge o calor necessário para esterilizar. Existem no mercado mini maçaricos portáteis indicados para esse uso, e é mais fácil encontrá-los nas exposições de orquídeas em estandes que vendem material de cultivo.
Cochonilha de carapaça- Passa desapercebida e
 pode ser confundida com fungos pelos inexperientes
(porque causa clorose nas partes atacadas)
 O ataque indica que a planta está
debilitada(falta de adubação)
 Escova, agua e sabão, ou oleo deneem e
 lave as partes afetadas com
escovinha macia.(de dentes)


Como muitos orquidários amadores são feitos de madeira e é frequente plantar orquídeas em madeiras como caixetas de sarrafo, troncos de árvores, deve-se ter atenção especial com esse material. Para viverem saudavelmente, as orquídeas precisam de “umidade ambiente” em torno de 70%, umas menos outras mais (isso não significa vasos encharcados). A umidade varia de acordo com a espécie. A associação madeira X umidade pode levar a uma proliferação exageradas de pragas e doenças que apreciam locais úmido, observe e tenha cuidado com excessos.
Cortes de folhas, hastes florais ou rizomas devem ser feitos com instrumentos limpos e esterilizados. Também, o uso de pastas selantes é indicado para ser utilizado ao fazer incisões em qualquer parte da planta. Afinal, todo corte é sempre uma porta de entrada para patógenos.
A água, fonte de vida para todo ser vivo, tem a capacidade de ser um transmissor se empregada de maneira inadequada. Como os fungos e bactérias podem ser transmitidos por esporos ou propágulos, o respingo de água de uma planta para outra é perigoso. Assim a irrigação por aspersão ou por mangueiras manuais deve ser feita com cautela. A situação piora nos casos de cultivos de vasos suspensos sobre outros.
Planta atacada por fungo- Note que na base tem novos brotos,
 isso indica a capacidade da planta em sobreviver tentando
 isolar o fungo, pois ao contrario do que muitos acham as
 plantas tem capacidade de controlar o ataque e se salvar sim,
mas para isso o melhor é o controle natural com o óleo
de neem a cada oito dias. Em caso mais severos, como a
podridão negra é necessário a retirada rápida da parte
atacada pelo fungo pois é muito agressivo e pode tomar
conta da planta em poucos dias, levando-a a morte.
A atenção com bancadas baixas precisa ser redobrada. O respingo de água que atinge o chão pode voltar e alcançar as plantas, acomodadas nessas bancadas, trazendo junto propágulos de fungos e bactérias. Nesses casos, a prevenção deve ser meticulosa. Indica-se manter distância entre os vasos para arejamento e a altura da bancada de, no mínimo, 90 cm. Também, o piso do orquidário precisa ser limpo. Qualquer vegetação que cresça torna-se um esconderijo ou mesmo um local de propagação de insetos nocivos às plantas. Existem várias maneiras de evitar o contágio das orquídeas por pragas e doenças e são essas dicas e técnicas básicas que acabam com a proliferação delas no orquidário!!!


"Nos seres humanos ganhamos muito quando aprendemos com as orquideas... Talvez seja difícil ouvi-las eu entendo isso, mas o que posso dizer é que no caso das orquideas ouvimos com o coração atravez dos olhos... somente abrindo o seu coração para o novo é que você escuta o que elas tem para lhe ensinar!!!"                                                                                                    Lucio Ximenes


                                                                   



Bom cultivo!!!
Enviar um comentário