sábado, 7 de fevereiro de 2015

VANDAS- AS ORQUIDEAS DA ASIA QUE ENCANTAM O MUNDO!!




Vanda sanderiana
















                   
                                O nome da espécie Vanda tem origem teutônica (alemã) e significa“peregrina".
Vanda lamellata
Vanda é um gênero de mais de 70 espécies diferentes de orquídeas e uma quantidade muito grande de hibridos que podem derivar de cruzamentos com outras variedades da planta.  Exemplo: Ascoscentrum. Aerides, Renanthera, Rhinchostylis, Arachnis, Vandopsis, Trichoglottis, Doritis, Neofinetia, Luisia, Gastrochilus, Phalaenopsis, Acampe, Sarcochilus, entre outras espécies  que possuem caracteristicas comum ao genero por isso são chamadas de Vandaes. 
 Nativas da Ásia oriental desde as montanhas do Himalaia, india, Filipinas, sul da china e norte da Austrália.
Na natureza estão abaixo do dossel da floresta, perto da umidade do chão e protegido da luz solar direta, mas em locais muito iluminados e quentes.  
As Vandaceas são consideradas entre os cinco mais importantes gêneros comerciais de orquídeas no mundo. São largamente cruzadas aperfeiçoadas. É na Tailandia que as Vandaceas se destacam! O país é considerado um dos maiores produtores mundiais do genero. Os outro paises que produzem vandas em larga escala são EUA(florida) e a AFRICA (durban).


cultivo profissional


O tamanho variado, desde flores com menos de um centimetro até variedades com 14 centimetros de diametro e as cores das flores das Vandas são sua principal característica, desde o amarelo, castanho, vermelho, azul, vinho, rosa, branco, violeta e purpura, escarlate, laranja ou coerulea,com riscos finos, marcações e pintas. Podem ser flores com uma única cor  ou mescladas de mais de uma cor, por isso é uma espécie que agrada a todos os gostos.
As características das folhas variam muito de acordo com o habitat, podendo ser largas e achatadas, de forma ovóide, cilíndricas, ou suculentas. Produzem poucas ou muitas flores, achatadas, que surgem de uma inflorescência lateral.
Elas são em sua maioria epífitas, isto é, vegetam sobre o tronco das árvores, mas às vezes são litófitas ou terrestres. tem o crescimento do tipo monopodial, isto é cresce para cima uma folha após a outra formando uma brotação muito ornamental, e algumas plantas podem crescer até três metros de altura!!


Close da flor e labelo

O labelo da flor apresenta um peculiar dente em sua borda superior.
 As florações ocorrem mais de uma vez por ano e as flores são muito duráveis. 

Largamente utilizada em hibridizações, as mais importantes espécies comerciais são a Vanda coerulea, Vanda sanderiana e Vanda dearei, que conferem às suas filhas híbridas respectivamente flores azuis, vinho e amarelas.

As Vandas quando no habitat costumam ser encontradas em regiões pantanosas, parecido com mangues, onde a umidade do ar mesmo quando não chove é muito alta por causa da agua em volta.
Suas raizes crescem em grande quantidade na parte de baixo servindo como captação de recursos e para fixação.


Neofinetia falcata
Rhynchostylis gigantea no habitat


Pelas características da região do seu habitat  é fácil imaginar qual o ambiente ideal para ela quando cultivamos em casa... Calor, muita luz, ventilação(circulação do ar), água e muita umidade.
  Para quem quer belas florações de suas Vandas vai precisar ainda de uma regular adubação que é dada para a planta junto com a agua, usando adubos solúveis ricos em fosforo. Quando vamos explicar sobre a nutrição de Vandas precisamos alertar que pela maneira que a planta gosta de vegetar (raizes nuas), sendo assim ela acaba por depender totalmente do ambiente para captar recursos para crescer e florir, por isso quem cultiva Vandas costuma adubar as suas plantas com muito mais frequência. 
Alguns adubam semanalmente com o dobro da dose, outros adubam duas vezes com a dose correta e outros adubam de forma homeopática incluindo o adubo na agua de rega. O mais importante é  
A Vanda gosta de clima quente e não suporta temperaturas muito baixas.
Em temperatura inferior a 15 graus, pode entrar em estado de repouso ou estagnação por vários meses, ou seja, não vai crescer e nem dar flores, e abaixo de 10 graus o risco de debilitar a planta é muito grande.

Vanda teres alba

Foram feitas experiências com Orquídeas Vanda em temperaturas de até 4°C por um breve período de tempo, onde alguns dos sintomas apresentados pelas plantas foram a perda dos botões de flor e a parada momentânea de crescimento das raízes, logo que a temperatura aumenta, a planta volta ao seu crescimento normal.


Se o frio for muito intenso durante vários dias seguidos, é necessário protegê-la do vento.

Habitat

A temperatura muito baixa faz a planta parar de crescer, retomando o seu metabolismo semanas depois.

Se a temperatura atingir 30 graus ou mais, mantenha o chão bem molhado, para aumentar a umidade relativa do ar ao redor dela. Ela suportará a temperatura alta sem problemas, contanto que haja umidade no ambiente.
Este é um fator muito importante para o cultivo de uma Vanda, As Vandas precisam de luz para florescer e crescer com vigor. Uma Vanda que não está florescendo, muito provavelmente está recebendo menos luz do que o necessário. Essas orquídeas florescem com sombreamentos em uma escala de 70% de sombra a pleno sol(usando sombrite).

Habitat
Ela vai bem colocada em lugares que recebam o sol...mas que seja filtrado pelo sombrite! alem disso esse lugar precisa ficar umido... molhando a planta e o chão também.






Os sintomas da baixa luminosidade são: 

 folhas com colorido verde muito escuro, ausência ou baixo índice de floração por mais de um ano em Vandas adultas, enfraquecimento da planta com perda de folhas e maior chance de contrair doenças.

Os sintomas de excesso de luz são:

 Folhas amareladas ou com queimaduras, perda de folhas e algumas vezes desidratação.

Desidratação das Vandas:

 As ultimas folhas, as mais velhas se dobram caindo para baixo e alem disso enrugamento das folhas.

As Vandas adoram água, elas devem ser regadas abundantemente e de preferência todos os dias.
A rega ideal é no início da manhã para dar à planta tempo de secar até que os raios solares aumentem de intensidade.
 Em média, em duas horas estarão secas.
 Você poderá molhar suas Vandas uma segunda vez no final da tarde, inclusive no verão são raros os dias em que não se molha mais de uma vez...
Voce perde a paciência mas não a Vanda!
Nunca molhe as plantas quando as folhas estiverem quentes pela incidência de luz solar, pois o choque térmico pode causar pequenas lesões que servem de porta de entrada para doenças.
Se precisar molhar durante o dia, espere uma nuvem cobrir o sol por cerca de 10 minutos para que a planta esfrie, pode molhar o chão também, a agua evapora e deixa o ambiente umido, pois a umidade é extremamente benéfica para as vandas.
A rega da Vanda deve ser feita com borrifador, mangueira ou aspersor sempre em forma de nevoa e molhando abundantemente as raizes!!
Em regiões frias, não molhe a planta se a temperatura estiver abaixo de 12°C. Se o frio permanecer por semanas, estabeleça um ritmo de uma rega a cada dois dias sempre pela manhã.

Vanda sanderiana alba


As folhas não se deve molhar sempre e da metade da planta para cima não é aconselhável molhar nunca...      Essa é a parte onde a planta cresce emitindo sempre uma nova folha e a agua ficando parada nessa região cria um risco de um ataque de fungo ou bactéria alem de cochonilhas eventuais...Esses três problemas citados são sempre causados por desnutrição em primeiro lugar! Vandas são plantas avidas por luz, agua, ventilação e também muito adubo. Sabemos que adubar com uma quantidade acima do indicado pelo fabricante pode ocasionar na queima e até mesmo a morte da planta por isso a adubação da Vanda deve ser mais diluída, assim o cultivador poderá aplicar o adubo intercalando com as regas em mais dias na semana e obtendo um melhor resultado de suas plantas.
Por ser plantada de forma que suas raizes fiquem expostas a nutrição da Vanda é algo muito importante.
Vanda no habitat
 Sempre se deve fornecer todos os nutrientes, mesmo que seja necessário mais de um adubo. Os adubo orgânicos e organominerais são os que mais se aproximam do ideal, pois são completos do ponto de vista nutricional e para quem tem pouco conhecimento sobre adubação e as opções de adubos existentes é a mais viável.
A minha adubação é feita com adubo orgânico liquido, com a dose dividida pela metade três vezes por semana e intercalo com a rega diária, sempre de manhã e no fim da tarde, após as quatro horas.

Vanda com broto saindo da base- Vive muito bem junto com a mãe, e só pode ser retirado quando já tiver raizes proprias.


























As Vandaceas produzem mudas ocasionalmente. A produção de novas mudas em uma Vanda adulta é determinada por dois fatores:

.Excelente cultivo -
 A planta muito bem cultivada pode interpretar fisiologicamente que poderá emitir novas mudas sem sofrer necessidades climáticas ou nutricionais.
Sofrimento vegetal-
 Uma Vanda adulta que esteja sofrendo por carência nutricional e variações climáticas, poderá emitir várias mudas na tentativa de preservar a espécie, já que a planta mãe corre o risco de morrer. Neste momento as mudas alimentam-se por um bom tempo dos nutrientes da planta adulta, servindo esta como substrato nutricional, uma vez que nos primeiros meses as mudas jovens ainda não emitiram suas raízes.
As Vandas chegam a emitir quatro florações anuais sem data especifica e conseguem sustentar mais de duas hastes durante uma única floração. Isso torna a Vanda uma orquídea sensacional para quem quer se dedicar ao cultivo pois se o cultivo for correto a planta mostrará resultados rápidos e consecutivos!

Vanda com broto saindo na base









              ABAIXO OUTRAS VANDACEAS QUE ENCANTAM...

                                                              ascocenda



   mokara

                                                                   
                                                                    Renanthera
  

                                      Rhynchostylis




                                             Arachnis











Enviar um comentário