sábado, 28 de março de 2015

OS VILÕES DAS ORQUIDEAS! OS 10 ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS NO CULTIVO




Brassocattleya Hippodamia Kelvin Lucky
Cultivar orquideas é um hobbie que trás muita alegria e conhecimento, mas exige dedicação e paciência. Quem já está cultivando ou pretende cultivar sabe que existem técnicas e praticas que envolvem, entre outras questões adubação, rega, luminosidade e ventilação. 
Orquídeas são consideradas plantas perenes, isto é vivem continuamente, sempre seguindo uma rotina de fases... BROTAÇÃO E CRESCIMENTO, FLORAÇÃO E FRUTIFICAÇÃO E DORMÊNCIA. 
 Por falta de informação, a pratica de manejar orquideas pode ser feita de maneira errada e prejudicar a planta e em casos mais graves, pode leva-la a morte. Para evitar que isso aconteça, fiz uma lista dos dez erros mais comuns no cultivo de orquideas:



1-VENTILAÇÃO- As orquideas se desenvolveram ao longo de milhares de anos e adquiriram a capacidade de retirar do ar nutrientes e umidade para crescer e se desenvolver. Por isso elas não toleram ambientes sem circulação de ar. E quando não há condições o cultivador vai perceber pois o crescimento fica prejudicado, com pouca ou nenhuma floração e ainda o aparecimento e a disseminação de pragas e fungos aumenta consideravelmente. Quanto mais arejado for o local de cultivo melhor, sem corrente de vento forte, apenas circulação de ar. 



2-LUMINOSIDADE- Este é um item fundamental no cultivo de orquideas pois dela depende a floração das orquídeas. Planta com menos luminosidade que necessita não dá flor, só crescendo a parte vegetativa.
 Se for cultivar em orquidário prefira locais iluminados pois é mais fácil controlar a intensidade do sol com a tela de sombreamento diminuindo também a temperatura, do que tentar cultiva-las na sombra. Nem todas as espécies se adaptam se não tiver boa luz. 


3-REGA- Primeiro acabar com um mito... As orquideas precisam e gostam de umidade sim! 
Mas para regar com eficiência é preciso atenção e observação, pois se regar de mais favorece o surgimento de fungos e outras pragas, além de apodrecer as raizes. 
As raizes não suportam ficar encharcadas pois são como esponjas e depois que absorvem  a agua precisam secar para depois molhar de novo. 
Outra questão diferente de regar, é a umidade ambiente. Observe as roupas no varal se secarem rápido é porque a umidade está baixa e nesse caso se já tiver regado as orquideas pode molhar apenas o chão para que aumente a umidade do ar no ambiente em que cultiva elas. Isto as vezes é melhor que jogar agua nelas pois simula o habitat de muitas espécies, onde sempre tem agua por perto, seja de um rio, lago, nevoeiro noturno, etc. 
Outra maneira de evitar os excessos na hora da rega é vaporizar agua apenas nas folhas, deixando o substrato mais seco, intercalando com regas normais em que se molha a planta toda. 




4-ADUBAÇÃO - É essencial para o sucesso no cultivo, mas o grande erro aqui é não seguir a recomendação do fabricante.
A captação de recursos pelas orquideas é muito lenta, pois tem o sistema  de vegetação CAM, que é igual ao dos cactos. É normal que quem inicie no cultivo de orquideas tenha pressa e aumente a dosagem do adubo querendo ver o resultado rápido, mas isso só vai prejudicar e em casos mais graves vai queimar a planta literalmente. a diferença entre adubo e veneno está na dose. Quando adquirir o adubo, leia atentamente o rotulo e siga as instruções de aplicação. Os melhores opções para que inicia e não conhece muito são os adubos orgânicos, e os organominerais, porque são alimentos completos para as orquideas e atuam também no substrato melhorando a condição das raizes e da captação de recursos. Antes da adubação é importante regar as plantas para deixa-las bem hidratadas.


5-DISPOSIÇÃO- As orquideas são plantas que necessitam de espaço para que se desenvolvam e o arejamento é fundamental pois como a maioria delas vegeta de forma epifita, o ar tem um papel fundamental na saúde delas.
A recomendação é de pelo menos 10cm de distancia entre os vasos. Quanto mais perto a distancia, mais fácil para a disseminação de pragas e fungos, alem de dificultar a rega e a adubação.




6-SUBSTRATO- Como a quantidades de espécies de orquideas é enorme e os habitats são os mais variados cada espécie exige um substrato para o cultivo. Além disso outro fator que prejudica demais as orquideas são os substratos velhos e saturados ou ainda aqueles que estão com muito resíduos de adubações continuas que acaba queimando as raizes. 
Existem vários tipos de raizes, por isso vários tipos de substratos. De maneira geral para as necessidades das orquideas o substrato ideal é que seja volumoso, de média a alta porosidade e de baixa densidade. No aspecto químico o PH deve estar entre 5 e 6 , de baixa salinidade. Esses qualidades propiciam boa nutrição para as raizes, boa fixação, aeração e ausência de fungos e pragas.
 Os substratos mais usados atualmente são: musgo esfagno, carvão vegetal, chips de coco, pedras como seixo rolado e brita,casca de arroz carbonizada, casca de pinus, casca de macadâmia. Estes podem ser usados sozinhos ou misturados usando sempre um que acumula mais umidade e outro que é mais seco e arejado para as raizes respirarem. Alem desses existem ainda os substratos regionais como exemplo o caroço de açai e a casca do coco seco.
 Também se utiliza madeiras em pedaços, troncos e cascas como a peroba, cedro, cabreúva, canela, guaraiúva, café, Sansão do campo, etc.




7-VASOS-Um erro muito comum é confundir a orquidea com uma planta terrestre e por falta de informação a pessoa escolhe um vaso que não é próprio para o cultivo de orquideas. Muitas vezes de tamanho exagerado,
alem de misturar vários tipos de vasos no cultivo o que acaba dificultando o cultivo na questão da rega e secagem dos vasos. Se o vaso não é adequado os prejuízos são o apodrecimento das raizes. Os mais usados atualmente são os vasos de barro, os de plástico e os cachepos de madeira, alem de troncos  e cascas de árvores. Sempre que for usar um novo vaso escolha o tamanho conforme a planta onde a medida é encostar a planta numa das bordas e medir de dois a três dedos livres na frente para que ela cresça. Isso pode parecer apertado e é o ideal para que a planta fique firme e se desenvolva permanecendo nesse vaso por até dois anos quando deverá ser replantada. 


8-CLIMA-Quando se começa a cultivar orquideas é comum as pessoas quererem de tudo, sem se preocupar com as necessidades da planta e o que ocorre é que muitas vezes a planta adquirida precisa de um clima especifico e acaba sofrendo e até morrendo em um clima diferente frustrando o iniciante. É fundamental avaliar o clima que você tem na sua região e na hora de comprar pergunte ao produtor qual é o clima exigido pela orquídea que você quer para saber se é compatível. Sempre tenha a identificação das plantas que adquirir pois com o nome é fácil fazer uma pesquisa sobre o habitat e as necessidades da planta usando a Internet.



9-COMBATE AS PRAGAS- Esse é um item que acaba com o sonho de muitos iniciantes que por praticas de cultivo errado em locais muito umidos e mal iluminados e sem ventilação acabam causando a desnutrição da planta e consequentemente o ataque de fungos e pragas, porque para que todos saibam essa é a lei da natureza sobre sustentabilidade.
 "Tudo o que é vegetal se reintegra ao meio de forma a beneficiar e reciclar."
 Então plantas debilitadas são atacadas pois estão sendo recicladas e servindo a outros seres, insetos ou fungos, etc. 
Como prevenção as pragas e doenças eu posso citar o óleo de neem que é natural extraído de uma árvore e que atua prevenindo e combatendo centenas de problemas em plantas, desde insetos a diversos tipos de fungos e bactérias, não sendo prejudicial nem ao ser humano nem aos animais. É vendido em gardens e agropecuárias e o modo de usar é especificado pelo fabricante. Além do óleo de neem existem receitas caseiras e naturais que são preventivos ao aparecimento de problemas e podem ser aplicados regularmente como a Canela, cebola, cravo , alho, fumo, pimenta etc. 
Mas a ação mais importante  está na correta e regular nutrição da orquídea pois existem nutrientes específicos que fazem naturalmente a defesa da planta. 




10-CULTIVAR EM LOCAIS INADEQUADOS- O desejo de ter um orquidário com diversas espécies pode fazer com que algumas delas não se adaptem. O segredo é pesquisar o habitat das plantas que se pretende adquirir e quais as espécies que são da mesma região ou clima comum. No mundo são mais de 30.000 mil espécies de diversos gêneros, epifitas, rupicolas e terrestres, alem de mais de 250.000 mil diferentes híbridos que possuem as características herdadas dos "pais" e podem vegetar em mais tipos de clima do que as espécies.
Saiba que o clima é fundamental no cultivo de orquideas e chega a ser 80% do sucesso no cultivo e na saúde da planta.


Esses são os erros mais comuns e que acabam atrapalhando o cultivo das orquideas e também de outras plantas. Plantas são como nós, quando chegam em um novo local vão procurar se adaptar, e por isso o mais interessante é fazer um tipo de " quarentena" e apenas observar, evitando mexer ou já replantar. Quando os primeiros sinais de que a planta começa a vegetar, como uma brotação ou emissão de raizes aparecer, é a indicação que ela está se adaptando ao novo local. 
A paciência e a observação são as duas qualidades que mais evoluem no cultivo de orquideas, pois sem elas dificilmente se consegue!!

" Neste mundo moderno, cheio de pressões e cobranças. cultivar orquideas é a maneira mais correta de se equilibrar. Uma orquidea a mais, um remedio e um psiquiatra a menos" 
                                                                 Dr. Humberto Epiphanio







Enviar um comentário