quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

SOBRE AS RAIZES DAS ORQUIDEAS- O SEGREDO DA SAUDE DAS PLANTAS!

Esse é um texto que escrevi há um ano atrás, logo que comecei o blog. É um dos temas mais importantes e sempre muito atual no cultivo de orquideas e por isso estou escrevendo uma novo texto, mais completo, para renovar e divulgar informações valiosas que farão qualquer um obter sucesso no cultivo de orquídeas!!





As raízes são responsáveis pela fixação da orquídea e por 70% ou mais da captação das substancias usadas por ela para vegetar com saúde. É umas das partes que mais evoluiu em relação as raízes de outras plantas mais simples.
Essa evolução vem ocorrendo ao longo dos milhares de anos por uma necessidade das orquídeas terem que adaptar em locais onde outras espécies de plantas não conseguem viver.



Essa evolução permitiu que as orquídeas vegetem na forma aérea sobre as árvores dentro das florestas e campos, no alto das montanhas entre as fendas das rochas onde ficam sob sol escaldante e também na forma terrestre, tanto nas camadas de serrapilheira(folhas mortas do chão da floresta), como em solo de quase todo tipo, até mesmo os mais alagados.  Somado a isso os mais variados tipos de clima encontrados nesses locais, desde o clima tropical, subtropical e equatorial, até mesmo o semi árido e o desértico, pois as orquídeas estão espalhadas por todos os continentes do globo com exceção da Antártida. 
 A grande maioria das espécies de orquídeas conhecidas é epífita, isto é, vive com suas raízes expostas fixadas em galhos e troncos de árvores nas florestas, ou na forma aérea mesmo, em pleno ar!
A grande maioria das milhares de espécies de orquídeas possuem suas raízes envoltas por uma camada de células em véus que funciona de forma semelhante a uma esponja para absorver água e tem o nome de velame. 
O velame protege a raiz para que não fique exposta, e tem a função de absorver água e nutrientes alem de evitar a evaporação excessiva.
Esse velame é uma estrutura de muitas camadas, com um engrossamento especial nas paredes das células, prevenindo o colapso celular e protegendo a raiz de danos.
É interessante notar que o cilindro vascular das raízes, a parte mais interna da raiz de uma orquídea, jamais, ou muito raramente, é infectada pelos fungos que vivem nela, pois a planta controla o espaço onde ficam os fungos e como eles tem vida muito curta acabam sendo absorvidos pelas células das orquideas em forma de minerais e dessa forma a planta controla a quantidade de fungos que vive na raiz.
Quando a raiz está úmida, sua cor fica verde e o velame enche-se passivamente com água, ajudado por micro perfurações nas suas paredes. Quando seca, a cor fica entre o branco e o prateado e o velame faz uma barreira contra a perda de água, evitando a evaporação excessiva. Algumas espécies de orquídea apresentam as raizes de cor acobreada ou amarronzada. 
ponta da raiz de uma orquídea é sempre de cor diferente enquanto está crescendo e muita gente já reparou isso, porque o contraste da cor é nitido. É na ponta da raiz que fica o meristema.
 O meristema é a parte da raiz que é responsável pela divisão de células e crescimento.
 A maioria das orquideas que tem a ponta em crescimento na cor verde, outras na cor vinho e outras até com pigmentos amarelados. Essa cor da ponta da raiz pode indicar as prováveis cores das flores em muitas espécies e em muitos híbridos também. Por exemplo, uma raiz de uma planta crescendo com o meristema na cor verde pode indicar flores albas, coeruleas, semi-albas ou flores de cor clara como o creme e o amarelo.
E raízes de ponta escura ou avermelhada indicam flores de cor típica nas espécies, ou cores mais intensas como o vermelho o lilás e o vinho em híbridos. 
Aproveite e faça essa observação nas suas plantas! Lembre-se que na orquidofilia, a observação é uma necessidade no cultivo.

O meristema da raiz é muito sensível e recebe a proteção da coifa, que é essa ponta arredondada de cor diferente do resto da raiz.
 Existem situações que o crescimento das raízes pode parar, por exemplo, se for comido por alguma praga como lesma ou caracóis, se for atacada por nematóide ou se for machucada acidentalmente. 
Esse tipo de situação é algo que prejudica demais uma orquídea e por isso temos que ter muito cuidado.
Os mais significativos processos vitais, como a preparação e armazenamento de substancias nutritivas e os fenômenos respiratórios das trocas gasosas por exemplo, acontecem dentro das raizes! 
Para uma orquidea perder suas raizes é mais de meio caminho para morrer, sendo necessário intervenção com hormônios estimuladores e "internação" em "SPA"( A Matéria ensinando a fazer,  você encontra no mês de Janeiro/2015, ou nas mensagens populares),
com micro clima próprio, ideal para que a planta volte a crescer e enraizar.
O replante de uma orquídea é uma operação delicada e precisa, e com a época certa do ciclo para ser feito com sucesso.
Preferencialmente esse procedimento é feito quando a planta começa a emitir raízes novas pois se entende que elas vão crescer e se fixar no substrato novo.
]
Uma dica no replante é não deixar a planta fica solta, porque as suas raízes em crescimento ficam raspando no substrato podem se danificar, parando o crescimento delas. Utilize tutores se não conseguir travar a planta com o substrato


A troca de vaso e substrato é estressante para a planta, e se for efetuado na época certa, logo nos meses seguintes será possível observar o crescimento da planta enraizando no novo substrato, alem de não prejudicar a floração. 
Para travar a planta no replante deve-se ir colocando o substrato sempre na borda do vaso pressionando a planta com o próprio substrato e dessa forma pressionando ela sem encostar nas raizes e assim evitando que esse procedimento danifique as raízes em crescimento.
 Existem raízes de orquídeas que são mais grossas e raízes que são mais finas, e isso depende da espécie e do seu habitat. De maneira simples, as raizes grossas reservam mais agua que raizes finas e por isso o tamanho e o tipo do substrato influenciam diretamente no sucesso do cultivo da especie de orquidea.
 Plantas de raízes finas tendem a sentir muito mais o replantio. 
Os dendrobiuns são um exemplo de raízes mais finas e tem no seu replante a chave do sucesso do cultivo deles. Em geral começam a emitir novas raízes após a floração quando os brotos novos estão em desenvolvimento.
 se perder essa fase e fizer o replante em outra época, a planta pode ficar sem florir no outro ano e até entrar em dormência, ou mesmo acabar morrendo, alem de ficar solta no vaso por falta de raizes que a fixem ao substrato.





O meristema apical existente nas raízes é uma das opções que propicia a clonagem das orquídeas
Na hora de comprar orquídeas esse tipo de informação é muito valiosa pois mesmo comprando plantas jovens, pode-se imaginar qual será o provavel resultado! 






Cattleya percivaliana- Comprada
 como Seedling de duas otimas plantas.
Em sua primeira floração
 mostrou muita qualidade nas flores!

Na hora de adquirir uma planta jovem em orquidarios ou exposições é comum se deparar com uma nomeclatura alem do nome dessas plantas. É uma definição do tipo de cruzamento da planta e isso indica muito sobre a planta depois de adulta, Veja abaixo os exemplos: 

Planta chamada de Meristema: São plantulas geradas através da cultura de tecidos retirados de uma planta adulta e que se deseja "copiar"(clonar). Dessa forma todas as características das plantas que germinarem serão idênticas à planta-mãe.

Planta chamada de Seedlings: são plantulas obtidas através de sementes, podendo variar em cor, tamanho e quantidade de flores, de acordo com características genéticas dos pais. Uma "loteria".

Planta chamada de Sibling: orquídea resultante de um cruzamento selecionado de plantas da mesma cápsula ou sementeira, isto é, plantas irmãs que acabam gerando melhores resultados na qualidade das plantas.

A ponta em crescimento de uma raiz pode fazer a fotossíntese se receber luz, e assim ajudar a planta a gerar energia.  Muitos enraizamentos costumam sair para fora do vaso também, mas sempre vão na direção em que a umidade é maior.

Quando as raízes estão crescendo dentro do substrato, elas tornam-se pálidas e dilatadas e se submetidas a muita umidade por muito tempo podem apodrecer mais facilmente.
O correto funcionamento das raizes das orquídeas epífitas ocorre com o processo de absorção e secagem delas e por isso a necessidade de secagem do substrato.

As orquídeas terrestres e rupícolas na sua maioria têm raízes capilares e são mais tolerantes às condições de maior umidade, mas mesmo assim exigem uma boa drenagem do substrato.

Uma grande dificuldade no inicio do cultivo é a falta de conhecimento sobre as raizes e também a falta de conhecimento sobre a alimentação das plantas, que é o que a planta precisa para ter capacidade de emitir muitas raizes!
 Eu ao longo dos anos aprendi que precisamos saber cultivar raizes se quisermos ter plantas lindas e flores espetaculares!
 No mercado de adubos existem muitas opções de enraizadores, vitaminas e hormônios sintéticos que estimulam o crescimento das raizes. Muitos desses produtos "bombam" as plantas e se usados de forma empírica e sem conhecimento podem também prejudicar e até condenar ela. Quem já cultiva há mais tempo sabe disso!

No texto sobre adubação(Blog-Mes de janeiro/2015) eu explico detalhadamente sobre o que a planta necessita e indico que as pessoas escolha produtos que sejam completos desses nutrientes numa composição equilibrada.
Os adubos AMINOPEIXERAIZES, e o
AMINOPEIXEALGASFOLHAS e na prevenção de pragas
 e doenças o AMINOPEIXENEEM ( oleo mineral que
trata e previne centenas de problemas
em orquideas,)
  Na alimentação das minhas orquideas e também de outras plantas que cultivo eu uso os adubos da AGROOCEANICA, que é a empresa que se especializou em produzir o que há de melhor no mercado de fertilizantes. Toda uma linha de produtos formulados de forma equilibrada que faz toda a diferença no cultivo as plantas, dando condições para que vegetem mesmo sob condições adversas e tambem aumentando a imunidade e resistência as pragas e doenças.

 A AGROOCEANICA, dentro da linha AMINOPEIXE tem um produto certo para as raizes, que é mais que isso, é um adubo completo que tem o foco em estimular o enraizamento delas! É o AMINOPEIXERAIZES, que
pode ser usado intercalado com outro adubo da linha como o AMINOPEIXEALGASFOLHAS dando um resultado ainda melhor! Entre no site: www.agrooceanica.com.br e experimente o que há de melhor na alimentação de plantas! 
Com esses dois adubos eu consigo alimentar todas as minhas plantas fornecendo tudo o que elas precisam para vegetarem com qualidade, florirem com abundância e alem disso se tornarem resistentes as pragas e doenças. Vejam algumas das plantas desse ano que selecionei as fotos como exemplo:


                            





           




         







"Neste mundo moderno, cheio de pressões e cobranças, cultivar orquideas é a maneira mais correta de se equilibrar. Uma orquideas a mais, um psiquiatra a menos"
Dr. Humberto Epiphanio












sábado, 28 de novembro de 2015

COMO DEFINIR O MELHOR CULTIVO PARA SUA ORQUIDEA.

Brassolaeliocattleya durigan- DNA de tres espécies
 de orquideas, Brassavola, Cattleya e Laelia,
 misturadas entre muitos cruzamentos. Resultado: Planta

com mais recursos de crescimento e floração.

É comum se falar em orquídeas como as plantas mais evoluídas da natureza, mas para a maioria dos botânicos e especialistas no assunto não é dessa forma que definem as plantas. 
Para quem investiga o fenômeno da evolução estudando as populações de seres vivos e suas transformações ao longo do tempo a definição das plantas é feita de outra forma. 
Em trabalhos publicados e livros especializados como o de Charles Darwin, chamado “A origem das espécies”, não se propõe esse tipo de definição mais evoluído ou menos evoluído, e ao contrário esse pensamento é criticado. Ao invés disso o que se fala é em seres vivos mais complexos ou menos complexos. 
Catasetum- uma das espécies de orquídea mais complexas- 
possibilidade de três tipos de flores: masculina, feminina e hermafrodita.
 na foto a planta emitiu na haste floral uma flor feminina e 
uma hermafrodita, para que no caso de conseguir uma "visita"
 de um polinizador conseguir ser fecundada e produzir sementes.

No reino vegetal o que se avalia é a capacidade de se transformar e se adaptar as mudanças do meio e a capacidade de se adaptar aos novos habitats através da dispersão das sementes.
 As plantas mais complexas da natureza são as angiospermas, pois são as que possuem mais recursos e as orquídeas também estão entre elas. 


Brassavola perrini- Espécie de orquídea  de crescimento simpodial muito usada em cruzamentos por sua complexidade. Suas folhas são grossas e coriaceas, resistentes a seca e a insolação. A sua floração é farta e perfumada atraindo seus polinizadores. Consegue se adaptar a muitos tipos de ambientes. Seus híbridos recebem em seu DNA toda essas características!
Pleurothallis teres-crescimento simpodial.
 Enraíza nas fendas entre as rochas 
como rupicola, e vegeta de forma humícola
(se nutrem a partir de matéria orgânica em decomposição)
Substrato de cultivo fora do seu habitat: 
pedrisco, carvão picado e casca de pinus em decomposição. 
Vive a pleno sol. 
As orquideas foram evoluindo ao longo de milhares de anos e criando recursos para conseguirem viver sob as árvores em busca de melhores condições de luz, e em locais onde outras espécies de plantas não vegetam como nas pedras no alto das montanhas mineiras.
 Para conseguir vegetar e conseguir recursos as orquideas precisaram desenvolver e melhorar as raízes, as folhas e as flores, que possuem tanto a parte masculina como a feminina.
 Os principais parceiros das orquideas são os insetos e pássaros, pois através da parceria com eles pode ser polinizada e gerar suas sementes. Pode ser também autopolinizada.
Para quem cultiva ou quer cultivar orquídeas, a grande sacada é procurar saber informações sobre a planta que vai adquirir, saber sobre o clima e as características da espécie, enfim saber sobre a historia da espécie se é do Brasil ou de que parte do mundo, pois é importante e imprescindível, alem de ser muito gratificante aprender sobre o novo que encanta... 
 Se você não pesquisou antes de comprar a planta deve perguntar ao vendedor pelo menos o nome, pois com essa informação é possível pesquisar informações e ver imagens dos diversos habitats pelo mundo pelo computador!! Nunca foi tão fácil cultivar plantas e flores em casa, o grande desafio agora é trabalhar a ansiedade, melhorar a observação e a cultura sobre as plantas e viver muitos momentos felizes.

Blc. Melody Fair 'Carol'
"Neste mundo moderno, cheio de pressões e cobranças, 
cultivar orquídeas é a maneira mais correta de se equilibrar.
 Uma orquídea a mais, um remédio e um psiquiatra a menos.”
 Dr. Humberto Epiphanio

As orquideas são seres vivos e por isso estão suscetiveis a não se adaptarem a novos locais e tratos, não adquira uma planta se não for realmente cuidar dela ou dar condições para que ela sobreviva no ambiente que tem na sua casa.  
 No planeta todo com exceção da Antártida, existem habitats dos mais variados climas e em todos eles podem existem orquídeas. Cada espécie se adapta e evolui conforme a necessidade de sobrevivência. O motivo é o processo adaptativo das espécies de orquídeas, que por causa das características do habitat tem modificações em determinada parte vegetal como as raízes, folhas, flores e bulbos. tornando uma espécie particularmente diferente da outra.
 O numero de espécies catalogadas passa de 20.000 (vinte mil) no mundo todo, divididas em gêneros de espécies próximas como a conhecida "chuva de ouro" e ou "dama dançante", e que pertence a espécie Oncidium e o nome cientifico é Oncidium varicosum.
Oncidium varicosum- Espécie conhecida como "chuva de ouro"- Muito usada na produção comercial sendo muito hibridada também pois é de facil cultivo e floração farta!!
Brassocattleya Hippodamia Kelvin Lucky-
Hibrido entre duas espécies naturais.
Brassavola e Cattleya. Neste ano de 2015

a planta está florescendo pela terceira vez!
esata tambem é uma vantagem das plantas hibridas.

 Alem das espécies naturais existem os híbridos que são resultado de cruzamentos entre espécies, como a Brassocattleya Hippodamia kelvin luck,(Cruzamento de duas espécies: Brassavola e Cattleya). 
Isso acaba aumentando e muito esse numero, podendo passar facilmente dos 100.000(cem mil). Existem plantas hoje resultado de anos de cruzamentos possuindo o dna de varias espécies como por exemplo a espécie Potinara Kozo's Scarlet 'vi emi' logo abaixo.

Potinara Kozo's Scatlet 'vi emi'- que é o resultado da mistura de
quatro espécie: Cattleya, Brassavola, Laelia e Soprhonitis.
Parece assustador saber disso no começo, porque se imagina que deva ser quase impossível conhecer as necessidades de todas. Sentimento que é reforçado quando as primeiras orquideas morrem! Costuma acontecer com quem está aprendendo. Feliz quem nunca perdeu uma orquídea...
Mas é preciso saber que, apesar de existir uma grande diversidade  de tipos de orquídeas cada uma com suas flores distintas, a maneira como crescem é bem parecida e saber disso já ajuda a observar e conhecer melhor as orquideas, facilitando o manejo. Desde a escolha do melhor tipo de vaso, qual a frequência da rega, a melhor iluminação e até como alimenta-la atravez da adubação.
  A maneira como as orquideas crescem pode ser dividida em dois tipos de crescimento principais:
Crescimento na Vertical e o crescimento na horizontal.

(vertical)
Vanda Pachara x Vanda Pachara Delight
Crescimento monopodial: No tipo de crescimento monopodial, as plantas crescem na vertical e por isso possuem caule aéreo e crescem emitindo folhas alternadas para esquerda e direita sucessivamente a partir de uma única gema apical(no ápice da planta) que persiste por toda sua vida.
 A evolução das plantas monopodiais seguiu as características dos habitat de origem desse tipo de orquídea, onde não é necessário ter uma grande reserva de nutrientes e de água, pois sobrevivem em ambientes com muita umidade no ar. 
Vanda- Espécie asiática de crescimento monopodial, isto é para cima
 continuamente, sendo a parte de cima onde saem as novas folhas,
 a área mais delicada da  planta.
Na hora da rega o melhor é molhar a planta da metade para baixo.

No cultivo saiba que pela largura da folha se identifica
 a quantidade de luz que a planta está acostumada. 
Folhas mais finas recebem mais luz, enquanto as mais grossas menos.
Sendo assim não possuem uma estrutura exclusiva para armazenamento de recursos, e são as folhas e o caule aéreo que fazem essa função na planta.
Exemplos de espécies que tem crescimento monopodial: Phalaenopsis,Vandas, Rinchostyllis, Angraecum, entre outras. São plantas originarias de ambientes mais úmidos e quentes e consequentemente com muito mais oferta nutritiva.
Phalaenopsis, Crescimento igual as Vandas, mas com
necessidades diferentes. Enquanto as Vandas na sua
maioria preferem mais luz as phalaenopsis podem
queimar as folhas se expostas a luz solar direta.
Phalaenopsis brotando um keiki(bebe) na haste floral,
 após perder a gema apical(ataque de bactéria)
 condenando seu crescimento definitivamente.
A parte onde as folhas crescem é sem
duvida a parte que mais se deva ter cuidado com agua
em excesso, pois do mesmo jeito que é benéfica,
também pode carregar as sementes de fungos e
bactérias e atacar a planta. Como recurso para se
salvar e por ter crescimento vertical consegue
alcançar os galhos mais altos brotando dessa

 forma no habitat
 Costumam florescer mais vezes e com uma durabilidade maior. Quanto mais folhas emitem maiores as chances de florir, pois no caso do crescimento na vertical a floração se dá a partir do caule entre as folhas carnosas, que por sua vez servem também para armazenar água e nutrientes. São na sua maioria espécies que habitam florestas quentes e umidas. São regiões pantanosas da Ásia tropical, com farta umidade é o tipo de habitat que a espécie de orquídea não precisa desenvolver uma reserva muito grande de recursos, mas em contra partida essa oferta toda fez dos habitats locais mais sombreados e em busca de luz a planta desenvolveu o crescimento para cima, inclusive os "keikis"(bebes) que emite são gerados em gemas de suas hastes florais bem mais desenvolvidas do que outras espécies, pois dessa forma ela pode florir e crescer alcançando outros locais em busca de luz.
 alem disso a durabilidade das flores é muito maior podendo passar dos três meses consecutivos dependendo da espécie. Logicamente que como existem uma infinidade de habitats com suas características, também existem espécies de crescimento monopodial que vive a pleno sol como a espécie Renanthera abaixo, que cresce de forma terrestre e epifita se fixando e subindo ao lado de árvores e palmeiras: 
credito/cultivo: Tuã Torres Cessa- Espécie asiática que necessita de solo umido e nutritivo, para
que possa ser cultivada a pleno sol.

Sabendo disso, o manejo, a escolha do vaso e do substrato alem do local de cultivo é que vão influenciar no sucesso ou no fracasso das plantas.


Planta de crescimento
 Simpodial- "Caminha no vaso"
(horizontal)
A floração  nas orquideas simpodiais 
acontece sempre na "frente", onde o 
novo bulbo surge, por isso a importância
 do desenvolvimento pleno de cada novo 
broto, pois eles são a esperança de flor,
 como nessa
hibrida Laeliocattleya Mini Purple.
Crescimento Simpodial: No tipo de crescimento simpodial, as plantas crescem na horizontal a partir do rizoma que é uma espécie de caule deitado, protegido por brácteas de cor marrom, e rico em reserva de nutrientes. O rizoma é o eixo de crescimento das Simpodiais e uma das estruturas mais importantes, pois é através dele que a planta emite brotos que depois de desenvolvidos darão origem as flores.
Nas orquídeas simpodiais cada novo broto dará origem a um tipo de caule chamado pseudobulbo, que é uma estrutura de reserva da planta e sustenta as folhas e flores.  
Espécie Dendrobium- seus pseudobulbos são
 conhecidos como cana. Os antigos costumam
perder as folhas para florir enquanto
os novos(com folhas) crescem vigorosamente.

Os pseudobulbos são a reserva da planta 
que chega a ficar 60 dias sem rega,
 apenas com a umidade do sereno noturno.

O pseudobulbo pode ter outros nomes também, como cana, rama, etc, dependendo da espécie, do local onde provem e de suas características morfológicas.

Paphiopedilum- espécie de crescimento simpodial,
 fácil de confundir com monopodial. a diferença
 é que essa espécie de orquídea, apesar de possuir 
rizoma, tem o crescimento das folhas da 
mesma forma que uma monopodial. Sendo assim
a espécie tem crescimento limitado culminando
com a floração que sai da gema apical e não das
 axilas das folhas como nas monopodiais. O rizoma 
é curto e dele se originam os brotos , que também
 são conhecidos como fascículos.

O que define o tipo de estrutura de armazenamento é a característica da espécie e do clima do habitat de origem. Se a espécie provem de locais que passam por períodos prolongados de seca, desenvolve bulbos vigorosos, pois é exigindo uma boa reserva de água e nutrientes para os períodos de estiagem. Se provem de matas fechadas que possuem bastante umidade ambiente que uma grande reserva não se torne tão necessário, desenvolve mais folhas pois ai a necessidade de captar a luz é maior que a de guardar nutrientes.
Os tipos de crescimento nas orquideas são dois, mas no crescimento simpodial (horizontal) pode haver uma variação de como pode ser esse crescimento.abaixo a descrição de cada um deles, sendo que todos são simpodiais:



Masdevallia- Espécie de orquidea de pesudobulbos 
finos e crescimento cespitoso. entoucera mais 
rapido e o plantio é feito no centro do vaso. 



Crescimento cespitoso: é um termo botânico que se refere ao modo como algumas plantas crescem lançando novos brotos ou caules de maneira aglomerada, geralmente formando uma touceira ou espesso tapete e formando touceiras.






Brassavola glauca- cresce para frente "escalando". 




Crescimento escandente: é um termo botânico que se refere à maneira como algumas plantas crescem emitindo novos brotos para o alto, de modo a subir pelas árvores em direção à luz. Em geral as espécies epifitas, apesar que esse é um recurso de muitas espécies para tambem superar obstáculos e tambem "fugir" de substratos ruins.









Maxillaria tenuifolia- nesse plantio foi usado 
uma casca de madeira e colodada dentro do
vaso plastico. Cultivo pendurado. Tolera luz mais
intensa sob sombrite 50% ou 70%. Preferencia sol
da manhã. Rega diária primavera/verão.
 Crescimento Subcespitoso: Mistura entre o escandente e o cespitoso, como ocorre com as Brassavolas e algumas Maxillarias, por exemplo que se desenvolvem,para cima, para os lados e aéreo.











Cattleya aclandiae- cresce como se estivesse
rastejando. Adaptação para viver no habitat.

Crescimento reptante: (lembra réptil, rastejante) é um termo botânico que se refere ao modo como algumas plantas crescem emitindo brotos da maneira rastejante bem junto ao solo ou ao seu hospedeiro, geralmente formando um tapete.















Para se obter sucesso no cultivo, alem de procurar se informar sobre a espécie e suas características para que possam ser cultivadas da melhor forma, é necessário entender como
funciona o ciclo da planta. 
As orquideas tem uma fase "inicial" , de brotação onde vão acumular recursos, brotando e crescendo até atingirem sua maturidade vegetal e podendo sustentar a tão sonhada floração que enche os nossos olhos! Nessa fase os recursos do meio, como a umidade, a luz e a ventilação não podem faltar. E a parte de quem cultiva também não, por isso é preciso adubar e observar o crescimento, alem de manter uma proteção ativa e natural. 



 

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

SUA PLANTA ESTA DOENTE? CUIDE DA PLANTA E NÃO DA DOENÇA!!!

Potinara kozo's scarlet 'VI emi'
É normal nos preocupar com as doenças, fungos e pragas sem se dar conta da saúde da orquídea. Toda vez que aparece alguma coisa não se pensa na planta e sim no problema, pois na tentativa de acabar com o mau o que procura é usar um remédio ou veneno, etc.
E isso é o começo para aumentar o risco de perder a planta aos poucos, pois não se corrige a causa. Mesmo atacada as orquídeas são muito resistentes e demoram a morrer. É interessante observar que apesar de ela estar definhando e ficando feia aos poucos, na verdade a planta está tentando solucionar o problema e não se entregando facilmente, possui sua defesa interna atua de forma inteligente Produzindo sua defesa! Em casos mais graves onde o problema é mais sério como os fungos da terra, podridão negra, podridão bacteriana, canela seca, etc. a planta tem menos chance, ainda mais se estiver desnutrida mesmo com suas defesas, pois são muito agressivos e tomam a planta toda em poucos dias.
Podridão mole em phalaenopsis- (uma bactéria que mata a planta 
em poucos dias). Uma situação que pode
ser revertida se tomada as devidas providencias, mas o melhor
é ter um cultivo inteligente para minimizar esse tipo de mau.

Bom, podemos dizer que as plantas quando adoecem por fungos ou ataque de pragas é porque estão sofrendo algum tipo de situação que não condiz com o que necessita. Falta de nutrientes, Falta de luz adequada, falta de água e umidade ambiente, falta de ventilação, falta de aeração nas raízes, falta de limpeza, ou ainda porque tá solta no vaso,  ou porque o substrato está velho e acido, enfim dava pra continuar colocando possíveis problemas aqui, mas a grande maioria deles reflete apenas três situações comuns no inicio do cultivo: falta de paciência, informação e observação.

Meu orquidario
(Como a maioria no começo. também tem um pouco de tudo!)
Observe que são três excelentes qualidades que qualquer ser humano gostaria de ter. E é o que o cultivo de orquídeas nos dá em troca da dedicação e do esforço em aprender e mudar internamente vencendo as dificuldades e resistências pessoais.  E é o que me fez cultivar orquídeas e hoje eu agradeço!
Se você que lê o texto quer aprender o que eu aprendo com elas respire fundo...e antes de utilizar qualquer produto químico em suas orquídeas tente resolver de uma maneira melhor, mais natural e menos agressiva para a planta.Com certeza haverá flores nessa hora para lhes presentear!

Cattleya violacea no habitat-
 vegeta sem nenhum problema de praga nem doença!
Em ambiente natural esses problemas não afetam as orquídeas sadias e na nossa casa também é possível atingir essa qualidade para que as orquídeas vegetem muito bem florindo e crescendo. Na natureza existe a seleção natural e por esse motivo algumas plantas também morrem e no caso disso acontecer conosco não devemos nos culpar, devemos observar o que realmente aconteceu e aprender com isso tentando evitar que se repita.


Phalaenopsis-
Uma boa adubação produz flores de otima cor e tamanho!
 Cultivando as plantas em ambiente próprio com uma alimentação regrada e completa e um controle de pragas natural e constante* é possível minimizar a morte das plantas que nos entristece tanto. A alimentação das plantas é a nossa parte mais importante, pois através dela damos condição para que elas vegetem com mais qualidade aproveitando melhor a luz, a umidade e a ventilação do ambiente, que são primordiais para o sucesso no cultivo.
www.agrooceanica.com.br


* ( O óleo de neem atua sobre centenas de problemas nas plantas e orquídeas e atua de forma sistêmica permanecendo na planta por 8 dias sendo eliminado de forma natural. É aplicado semanalmente ajudando a prevenir qualquer problema.)



Catasetum Mary Spencer- Começou a florir em janeiro, com uma haste.
 Em junho na quarta haste floral 
foi premiado na exposição de Rio Claro/2015
Para um iniciante como eu, de poucos anos de cultivo, é um feito 
sensacional!!

E o segredo eu conto aqui nesse texto para voce!


Primeira Haste em jan/2015-
 Se fosse essa teria levado o primeiro lugar!!!

Adubar é a principal tarefa de quem cultiva as plantas, e talvez por isso se tenha tanto prazer quando dá certo! É através da adubação que as plantas conseguem sintetizar tudo que necessitam. Usam os nutrientes de forma combinada para fabricarem as vitaminas e compostos que usa para enraizar, brotar, florir, se defender, etc.  Diferente dos seres humanos que precisam de vitaminas, as plantas conseguem sintetizar qualquer substancia que necessite desde que tenha os nutrientes minerais da adubação.
Saber sobre os nutrientes e como eles se ligam dentro das plantas demanda estudo e a maioria das pessoas  que começam a se interessar por orquídeas tem dificuldade nessa parte, dificultando o cultivo no inicio. Além disso, existem muitos mitos criados que não ajudam.
Oncidium Red mini-
Se adaptou muito bem ao clima quente do interior !
 O que bastaria saber no inicio é que as orquídeas como qualquer outra planta também precisa de alimento.  É com ele que fabricam suas células de defesas para viver em meio natural entre fungos e insetos, equilibrada e saudável. Os fungos e bactérias existem entre nós e qualquer meio, e todas as orquídeas são dependentes de fungos para sobreviver desde a germinação até a fase adulta, onde vivem nas raízes das plantas. As sementes das orquídeas contêm pouquíssimas reservas de nutrientes e o fungo entra nessa parte fornecendo os nutrientes para a germinação e o crescimento. É Por isso que a infecção por fungos micorríticos numa semente de orquídea em meio natural é a única maneira da planta se desenvolver e mesmo assim não significa que, necessariamente, resultará na germinação e crescimento da planta, pois pode acontecer o contrario e o fungo matar a planta.
Phalaenopsis- A floração dessa espécie é continua por vários meses
 desde que mantenha a adubação correta!!

 Essa “parceria” entre as orquídeas e alguns tipos de fungos e insetos é muito estudada por cientistas, pois é um tema muito complexo e cheio de possibilidades e a interação só dá certo porque as orquídeas possuem mecanismos muito eficientes para sua defesa contra doenças e são capazes de limitar o crescimento dos fungos e a ação dos insetos.
Brassocattleya Hippodamia Kelvin Luck-
Floração em  março/2015 e depois em julho com mais
uma flor. Agora em outubro
já brota vigorosamente!

 A inibição do crescimento dos fungos é controlada pela síntese de uma substância produzida pela orquídea com os nutrientes absorvidos atravez das adubação e que possui efeitos sobre numerosos  tipos de fungos micorríticos e terrestres. Este fungicida natural produzido pela planta tem a sua síntese efetuada para controlar e até matar os fungos que sejam indesejáveis evitando que se espalhem e prejudiquem a planta se desenvolver.
 Nas florestas as orquídeas são continuamente expostas aos fungos e outros micro-organismos, e a resistência à doença é uma regra para todas as espécies! É a maneira que a natureza faz a seleção natural de evolução!
  O desencadear do crescimento exagerado e o ataque de Fungos e Bactérias nas plantas sempre vai acontecer por um desequilíbrio, um stress, e que muitas vezes ou quase 100% das vezes é causados por nós mesmos. Pois é, muitas vezes as ações erradas no cultivo acabam interferindo de forma negativa na saude da planta. Pode ser por falta, mas o mais comum é por excesso sempre...
E Qual o segredo para diminuir o risco de perder uma planta?
Hibrido de Laelia e Cattleya-Com adubação correta
e constante é possivel ter flores iguais as dos produtores,
 e utilizando apenas um produto!!
Primeiro, não se apavore quando achar ou perceber que algo de errado está acontecendo e mantenha a calma. Pense e procure analisar os acontecimentos e se possível, deixe a natureza reagir, apenas auxilie, esteja presente. Procure usar produtos naturais, equilibrados, pois as orquideas absorvem seus nutrientes aos poucos e trabalham com reserva, então de nada adianta aplicar algo "forte" demais que o resultado não melhora e no caso de uma doença por exemplo, é possível que até se perca a planta por não aguentar algo tão concentrado. Uma doença e uma flor não acontecem da noite para o dia, isso é um processo que leva tempo... Um Fungo é considerado "oportunista" porque aproveita uma vulnerabilidade da planta que acontece aos poucos com falhas na nutrição e em locais de clima inapropriado. O que uma planta precisa é de condições(Agua, luz, umidade e nutrientes vindos da adubação).
Se você for usar produtos químicos, você estará pensando somente nas pragas e fungos, e não nas plantas, isso vai afetar a natureza de tal forma que vai colocar suas plantas no CICLO DE DOENÇAS E PRAGAS, porque além de "matar o fungo ou pragas" vai matar muitas vidas que habitam o local e ajudam as plantas, muitas microscópicas, que nem imaginamos que estejam ali.  E cada vez menos os venenos tem feito algo de bom para as plantas, apenas deixam as pragas mais fortes, pois a natureza evolui. 

Um entendimento melhor desse processo e a precisa identificação do mecanismo de atuação dessas substâncias fez a AGROOCEANICA desenvolver a linha de adubos AMINOPEIXE que possui compostos que estimulam entre outras funções a produção das fitoalexinas(células de defesa)e outros compostos, reduzindo as aplicações de defensivos externamente. As plantas ficam muito mais resistentes e alimentadas de forma plena. Preparada para as adversidades do ambiente!


Os produtos da linha AMINOPEIXE e AMINOPEIXEALGAS, são fertilizantes oriundos de fermentação enzimática de pescado marinho e contém de forma prontamente assimilável pela planta: Macro e micronutrientes, essenciais para as plantas além de aminoácidos; quitosana; óleo de peixe; colágeno; hormônios enraizadores; ácidos graxos voláteis; carbono orgânico; acido húmico e fúlvico; matéria orgânica. E o AMINOPEIXEALGAS, alem de tudo isso também é formado com algas marinhas do gênero Ascophyllum nodosum, que quando utilizada na agricultura em geral proporciona um maior desenvolvimento vegetativo, mesmo sob condições ambientais diversas. As algas são fontes naturais de citocininas (hormônios vegetais que promovem a divisão celular e retardam a senescência). Plantas pulverizadas com produtos à base de Ascophyllum nodosum, podem sofrer um aumento da atividade de nitrato redutase, uma enzima do metabolismo do nitrogênio, estimulando o crescimento de plantas em condições adversas, principalmente deficiência de nitrogênio. Essas substancias combinadas regulam e corrigem o natural equilíbrio nutricional e metabólico das plantas ativando a fotossíntese e a exploração do seu potencial biológico e fisiológico de forma plena e também ativando a resposta de defesa da planta, evitando pragas e doenças. Tornando o cultivo mais simples e pratico com o menor impacto no ambiente preservando e equilibrando toda a vida em volta das orquídeas!!



       "Cuide da Natureza que ela cuidará de você”.
                     


Phalaenopsis em close-flores por muitos meses com AMINOPEIXE !